A INFLUÊNCIA DA LIDERANÇA POLÍTICA NOS PLANOS BRASILEIROS DE ESTABILIZAÇÃO ECONÔMICA: DO CRUZADO AO REAL

Junior Ivan Bourscheid, Rodrigo Stumpf González, Rodolfo Silva Marques

Resumo


O presente trabalho pretende analisar de forma sintética as relações político-econômicas que marcaram o planejamento para a estabilização econômica do Brasil no período entre a implementação do Plano Cruzado, em 1986, e do Plano Real, por volta de 1993 e 1994. Para tanto, foi feito o uso da pesquisa qualitativa e de cunho histórico, compreendendo-se, nos aspectos políticos e institucionais, alguns elementos relevantes para a apreensão das limitações e perspectivas à aplicabilidade das políticas econômicas surgidas com a redemocratização, visando a superação da crise econômica que permeou o início do processo de transição para o regime democrático. Utilizando o enfoque da teoria neo-estruturalista da inflação inercial, observamos a importância do apoio político para o controle gradual da inflação, com a indexação completa da economia, bem como a necessidade de uma reforma fiscal que permita a manutenção das medidas de controle inflacionário. De tal modo, foi evidenciado que foram aspectos relevantes tanto a falta de um diagnóstico preciso sobre o tipo de inflação, quanto as condicionantes políticas para a otimização das medidas anti-inflacionárias, em um cenário de recente institucionalização democrática e conformação de novos compromissos políticos almejando consolidar alianças que permitissem garantir a governabilidade.


Palavras-chave


Planos Econômicos; Estabilização; Medidas Anti-Inflacionárias; Liderança Política

Texto completo:

PDF

Referências


AMES, Barry. Os entraves da democracia no Brasil. Rio de Janeiro, RJ: Editora FGV, 2003.

ATLAS DAS ELEIÇÕES PRESIDENCIAIS NO BRASIL. Eleição de 1989. 2014. Disponível em: . Acesso em: 20 de abril de 2016.

BAER, Werner. A Economia Brasileira. São Paulo, SP: Nobel, 1996.

BATHKE, Juliano. Da moeda à inflação: uma análise empírica da economia brasileira a partir de 1980. Monografia (Bacharelado em Ciências Econômicas) – Departamento de Ciências Econômicas, Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão, Campo Mourão, 2004.

BRESSER PEREIRA, Luiz Carlos. A Economia e a Política do Plano Real. Revista de Economia Política, Vol. 14, 4, 1994.

______. Os dois congelamentos de preços no Brasil. Revista de Economia Política, Vol. 8, nº. 4, 1988.

CARNEIRO, Dionísio Dias; MODIANO, Eduardo. Ajuste externo e desequilíbrio interno: 1980-1984. In. Marcelo de Paiva Abreu (Org.). A Ordem do Progresso: cem anos de política econômica republicana: 1889-1989. Rio de Janeiro, RJ: Editora Campus, 1990.

CARVALHEIRO, Nelson. A política monetária no Brasil pós-Real. Pesquisa & Debate, Vol. 13, 1, 2002.

FIGUEIREDO, Argelina Cheibub; LIMONGI, Fernando. Executivo e Legislativo na nova ordem constitucional. 2ª ed. Rio de Janeiro, RJ: Editora FGV, 2001.

______;______. Instituições políticas e governabilidade: desempenho do governo e apoio legislativo na democracia brasileira. In: Carlos Ranulfo Melo; Manuel Alcântara Sáez (Orgs.). A Democracia Brasileira: balanço e perspectivas para o Século 21. Belo Horizonte, MG: Editora UFMG, 2007.

______;______. O Congresso e as Medidas Provisórias: abdicação ou delegação? Novos Estudos CEBRAP, No. 47, 1997.

FLIGENSPAN, Flávio Benevett. Uma visão global da economia brasileira durante a vigência do Plano Real: avanços impasses e um cenário de crescimento com exclusão. Indicadores Econômicos FEE, Vol. 26, 1, 1998.

GREMAUD, Amaury Patrick; VASCONCELLOS, Marco Antonio Sandoval de; TONETO JR. Rudinei. Economia Brasileira Contemporânea. 7ª ed. São Paulo, SP: Atlas, 2007.

LANZARINI CASA, Carlos Alberto. Dívida Interna, Inflação e Desinflação (1964-2004): o financiamento do Estado brasileiro sob a perspectiva da vulnerabilidade externa e da preferência pela liquidez do mercado de títulos públicos. Monografia (XIII Prêmio Tesouro Nacional, Tema “Política Fiscal e Dívida Pública”, Terceiro Lugar) – Tesouro Nacional, Poder Executivo, Brasília, 2008.

MACARINI, José Pedro. A Política econômica do Governo Sarney: os Planos Cruzado (1986) e Bresser (1987). Textos para Discussão, IE/UNICAMP, No. 157, 2009.

MAINWARING, Scott. Brasil: partidos débiles, democracia indolente. In: Scott Mainwaring; Timothy Scully (eds.). La construcción de instituciones democráticas: sistemas de partidos en América Latina. Santiago: CIEPLAN, 1996.

MODIANO, Eduardo. A ópera dos três Cruzados: 1985-1989. In: Marcelo de Paiva Abreu (Org.). A Ordem do Progresso: cem anos de política econômica republicana: 1889-1989. Rio de Janeiro, RJ: Editora Campus, 1990.

MORAES, Filomeno. A Constituição do Brasil de 1988 e a Reforma Política. Revista Jurídica da Presidência, Vol. 7, 72, 2005.

NUNES, Edson de Oliveira. A Gramática Política do Brasil: Clientelismo e Insulamento Burocrático. Rio de Janeiro, RJ/Brasília, DF: J. Zahrar Editor/Escola Nacional de Administração Pública, 1997.

RODRIGUES, Alberto Tosi. O Brasil de Fernando a Fernando: neoliberalismo, corrupção e protesto na política brasileira de 1989 a 1994. Ijuí, RS: Editora UNIJUÍ, 2000.

SIMONSEN, Mário Henrique. A inflação brasileira: lições e perspectivas. Revista de Economia Política, Vol. 5, 4, 1985.

TRIBUNAL SUPERIOR ELEITORAL (TSE). Resultados das Eleições de 1994. 2011. Disponível em: . Acesso em: 20 de abril de 2016.




DOI: https://doi.org/10.21783/rei.v2i1.33

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Junior Ivan Bourscheid, Rodrigo Stumpf González, Rodolfo Silva Marques



                                                                                                                     

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia