O PRINCÍPIO DA PROIBIÇÃO DO RETROCESSO AMBIENTAL APLICADO ÀS POLÍTICAS PÚBLICAS AMBIENTAIS

Barbara Lucchesi Ramacciotti, Camila Queiroz de Souza, Luís Rodolfo Ararigboia de Souza Dantas

Resumo


O presente trabalho discute a incidência do princípio da proibição do retrocesso ao campo das políticas públicas de proteção e conservação do meio ambiente. Nesse contexto, as políticas públicas surgem como um dos instrumentos de efetivação do direito ao meio ambiente ecologicamente equilibrado, promovendo-o e incrementando o seu nível de proteção. O princípio da proibição do retrocesso é, então, aplicado para impedir a adoção de medidas que ocasionem a redução ou a supressão dos níveis de proteção já alcançados, como nas situações de desmonte ou esvaziamento do aparato estatal necessário para implementação de políticas públicas ambientais. O presente estudo visará, portanto, investigar se e de que forma tal princípio é aplicado na seara das políticas públicas ambientais, enfrentando, inclusive, as discussões doutrinárias sobre o seu reconhecimento ou não no direito brasileiro. Trata-se de pesquisa qualitativa e descritiva, com base em conceitos de Estado Social e Socioambiental, de políticas públicas e do princípio da proibição do retrocesso ambiental, juntamente com levantamento e análise de legislação e políticas públicas ambientais específicas.

Palavras-chave


Políticas Públicas; Meio ambiente; Proibição do retrocesso; Estado Socioambiental

Texto completo:

PDF

Referências


AYALA, Patrick de Araújo Ayala. Os desafios para um constitucionalismo da vida decente em uma cultura jurídica de retrocesso ambiental: contribuições da jurisprudência e da teoria constitucional brasileira. In: CHACON, Mario Peña. El Principio de No Regresión en Iberoamérica. Gland, Suiza: UICN, xxii. Disponível em: < https://portals.iucn.org/library/sites/library/files/documents/EPLP-084.pdf>. Acesso em: 11 abr. 2020.

BENJAMIN, Antônio Herman. Constitucionalização do Ambiente e Ecologização da Constituição Brasileira. In: CANOTILHO, José Joaquim Gomes; LEITE, José Rubens Morato (Org.). Direito constitucional ambiental brasileiro. 6.º ed., São Paulo: Saraiva, 2015.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil, de 5 de outubro de 1988. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm>. Acesso em: 3 dez. 2019.

BRASIL. Lei n.º 6938, de 31 de agosto de 1981. Dispõe sobre a Política Nacional do Meio Ambiente, seus fins e mecanismos de formulação e aplicação, e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 3 dez. 2019.

BRASIL. Decreto n.º 99.165, de 12 de março de 1990. Promulga a Convenção das Nações Unidas sobre o Direito do Mar. Disponível em: < https://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1990/decreto-99165-12-marco-1990-328535-publicacaooriginal-1-pe.html>. Acesso em: 11 abr. 2020.

BRASIL. Decreto n.º 591, de 6 de julho de 1992. Atos internacionais. Pacto Internacional sobre Direitos Econômicos, Sociais e Culturais. Promulgação. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/1990-1994/d0591.htm>. Acesso em: 11 abr. 2020.

BRASIL. Lei 9.433, de 8 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9433.htm>. Acesso em: 9 dez. 2019.

BRASIL. Lei 10.257, de 10 de julho de 2001. Regulamenta os arts. 182 e 183 da Constituição Federal, estabelece diretrizes gerais da política urbana e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 9 dez. 2019.

BRASIL. Decreto 4.339, de 22 de agosto de 2002. Institui princípios para a implementação da Política Nacional da Biodiversidade. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/2002/D4339.htm>. Acesso em: 09 dez. 2019.

BRASIL. Lei 11.445, de 5 de janeiro de 2007. Estabelece diretrizes para o saneamento básico. Disponível em: . Acesso em: 9 dez. 2019.

BRASIL. Lei 6.040, de 7 de fevereiro de 2007. Institui a Política Nacional de Desenvolvimento Sustentável dos Povos e Comunidades Tradicionais. Disponível em: . Acesso em: 9 dez. 2019.

BRASIL. Lei 12.187, de 29 de dezembro de 2009. Institui a Política Nacional sobre Mudança do Clima – PNMC e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 9 dez. 2019.

BRASIL. Lei 12.305, de 2 de agosto de 2010. Institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2007-2010/2010/lei/l12305.htm>. Acesso em: 9 dez. 2019.

BRASIL. Lei 12.587, de 3 janeiro de 2012. Institui as diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/lei/l12587.htm>. Acesso em: 9 dez. 2019.

BRASIL. Decreto 7.747, de 5 de junho de 2012. Institui a Política Nacional de Gestão Territorial e Ambiental de Terras Indígenas – PNGATI, e dá outras providências. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2011-2014/2012/decreto/d7747.htm>. Acesso em: 9 dez. 2019.

BRASIL. Lei n.º 13.844, de 18 de junho de 2019. Estabelece a organização básica dos órgãos da Presidência da República e dos Ministérios. Disponível em: . Acesso em: 14 abr. 2020.

BRASIL. Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (IBAMA). Centro Nacional de Prevenção e Combate aos Incêndios Florestais (Prevfogo). Disponível em: . Acesso em: 9 dez. 2019.

BRASIL. Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio). Planos de Ação Nacional. Disponível em: < http://www.icmbio.gov.br/portal/faunabrasileira/planos-de-acao-nacional>. Acesso em: 9 dez. 2019.

BUCCI, Maria Paula Dallari Bucci. Notas para uma metodologia jurídica de análise de políticas públicas. In: FONTINI, Cristiana; ESTEVES, Júlio César dos Santos; DIAS, Maria Tereza Fonseca (Org.). Políticas públicas: possibilidades e limites. Belo Horizonte: Fórum, 2008.

______. Políticas públicas e direito administrativo. Disponível em: . Acesso em: 1 dez. 2019.

______. Método e Aplicações da Abordagem Direito e Políticas Públicas (DPP). Revista Estudos Institucionais (set./dez. 2019). Vol. 05, n.º 03. Disponível em: < https://www.estudosinstitucionais.com/REI/article/view/430/447>. Acesso em 11 abr. 2020.

FERRER, Gabriel Real. El Principio de No Regresión Ambiental a la Luz del Paradigma de la Sostenibilidad. In: CHACON, Mario Peña. El Principio de No Regresión en Iberoamérica. Gland, Suiza: UICN, xxii + 310 pp. Disponível em: < https://portals.iucn.org/library/sites/library/files/documents/EPLP-084.pdf>. Acesso em: 10 dez. 2019.

FONTE, Felipe de Melo. Políticas públicas e direitos fundamentais. 2. ed. São Paulo: Saraiva, 2015.

GATINHO, Dacicleide Sousa Cunha; LAURINDO, Victor Hugo. O cômputo das áreas de preservação permanente no percentual de reserva legal do Novo Código Florestal e o princípio da proibição do retrocesso ambiental. Revista Direito Ambiental e sociedade. Vol. 05, n.º 02, 2015. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2020.

GURSKI, Bruno César; LIMA, José Edmilson de Souza. Ambientalização do direito e efetividade das políticas públicas ambientais. Novos Estudos Jurídicos, v. 21, n. 2, p. 718, 15 ago. 2016.

LIBERATI, Wilson Donizeti. Políticas públicas no Estado constitucional. São Paulo: Atlas, 2013.

MAGALHÃES, José Luiz Quadros. Tipos de Estado (globalização e exclusão). Disponível em: . Acesso em: 1 dez. 2019.

MILARÉ, Édis. Direito do Ambiente. 11. ed., São Paulo: Thompson Reuters, 2018.

MOLINARO. Carlos Alberto. Interdição da Retrogradação Ambiental: reflexões sobre um princípio. In: Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle do Senado Federal (org.). O princípio da proibição do retrocesso ambiental. Brasília: Senado Federal, 2011. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2019.

PECCATIELLO, A. F. O. Políticas públicas ambientais no Brasil: da administração dos recursos naturais (1930) à criação do Sistema Nacional de Unidades de Conservação (2000). Desenvolvimento e Meio Ambiente, v. 24, n. 0, 28 dez. 2011. Disponível em: < https://revistas.ufpr.br/made/article/view/21542/17081>. Acesso em: 9 dez. 2019.

PLAZA, Ricardo Crespo. Alguns casos de retrocesos em la legislácion ambiental del Ecuador. In: CHACON, Mario Peña. El Principio de No Regresión en Iberoamérica. Gland, Suiza: UICN, xxii + 310 pp. Disponível em: . Acesso em: 11 abr. 2020.

PRIER, Michel. Princípio da proibição do retrocesso ambiental. In: Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle do Senado Federal (org.). O princípio da proibição do retrocesso ambiental. Brasília: Senado Federal, 2011. Disponível em: . Acesso em: 10 dez. 2019.

SARLET. Ingo Wolfgang. A proibição do retrocesso ecológico e as mudanças no Ministério do Meio Ambiente. Revista Consultor Jurídico (15 de fevereiro de 2019). Disponível em: < https://www.conjur.com.br/2019-fev-15/direitos-fundamentais-proibicao-retrocesso-ecologico-ministerio-meio-ambiente>. Acesso em: 10 dez. 2019.

SARLET, Ingo Wolfgang; FENSTERSEIFER, Tiago. Direito Constitucional Ambiental. 5. ed. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2017.

SIRVINKAS, Luís Paulo. Manual de direito ambiental. 17. ed. São Paulo: Saraiva, 2019.




DOI: https://doi.org/10.21783/rei.v6i2.481

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Barbara Lucchesi RAMACCIOTTI, Camila Queiroz de SOUZA, Luís Rodolfo Ararigboia de Souza DANTAS

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

                                                                                                                     

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia