DIREITO INSTITUCIONAL ECONÔMICO E ARRANJOS INSTITUCIONAIS: UM DIAGNÓSTICO SOBRE OS CONSELHOS E FUNDO MUNICIPAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL EM MINAS GERAIS

Leonardo Alves Correa, Giovani Clark, Pedro Rezende Carvalho

Resumo


O presente estudo tem como objetivo analisar o processo de construção das políticas públicas de efetivação do direito humano à alimentação, em particular, a elaboração, organização e implementação dos Fundos Municipais de Segurança Alimentar e Nutricional no Estado de Minas Gerais. A situação-problema consiste em indagar em que medida os atuais arranjos institucionais são capazes de induzir a formulação de fundos específicos destinados ao financiamento das políticas de Segurança Alimentar e Nutricional. Em termos teóricos, o objeto de estudo propõe um diálogo interdisciplinar entre o Direito Econômico e o institucionalismo. Na perspectiva da presente investigação, para além de uma análise estritamente legalista, as instituições importam para compreensão adequada do “Fundo” como um fenômeno jurídico-político-econômico. A metodologia adota é o estudo de caso da estruturação dos Fundos no Estado de Minas Gerais a partir de uma pesquisa entre os 161 que possuem o Conselho Municipal de Segurança Alimentar e Nutricional  Os resultados da pesquisa evidenciaram que – diferentemente de outros arranjos institucionais, como a estruturação do Conselho de Saúde e o Fundo de Saúde – o atual arranjo institucional de nosso Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional  não induziu o desenvolvimento de fundos destinados ao financiamento das políticas de segurança alimentar e nutricional.


Palavras-chave


Políticas públicas; Arranjos institucionais; Direito humano à alimentação adequada

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Saúde. Norma Operacional Básica n. 01/1991. Tem por objetivo fornecer instruções aos responsáveis pela implantação e operacionalização do Sistema único de Saúde - SUS, elaborada de conformidade com as Leis nos 8.074/90 e 8.080/90. Brasília, DF, 10 jan. 1991. Disponível em: < https://www.jusbrasil.com.br/diarios/942085/pg-50-secao-1-diario-oficial-da-uniao-dou-de-10-01-1991>. Acesso em 25 set. 2017.

BRASIL. Lei nº 11.346, de 15 de setembro de 2006. Cria o Sistema Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional – SISAN com vistas em assegurar o direito humano à alimentação adequada e dá outras providências. Brasília, DF, 15 set. 2006. Disponível em: < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Lei/L11346.htm>. Acesso em: 19 set. 2017.

BRASIL. Emenda Constitucional nº 64, de 4 de fevereiro de 2010. Altera o art. 6º da Constituição Federal, para introduzir a alimentação como direito social. Brasília, DF, 4 fev. 2010. Disponível em: . Acesso em: 19 set. 2017.

BURLANDY, Luciene. A construção da política de segurança alimentar e nutricional no Brasil: estratégias e desafios para a promoção da intersetorialidade no âmbito federal de governo. Ciênc. saúde coletiva: Rio de Janeiro, v. 14, n. 3, p. 851-860, 2009.

BORJA, Jordi. A Participação Citadina. Trad. Regina Sílvia Pacheco. Espaço & Debates, n. 24, 1988.

CARNEIRO, Carla Bronzo Ladeira. Conselhos de política públicas: desafios para sua institucionalização. In: SARAVIA, Enrique; FERRAREZI, Elisabete. (Org.) Políticas públicas: Coletânea. Brasília: ENAP, 2006. v. 2, p. 149-166.

CARVALHO, Antônio Ivo de. Os conselhos de saúde, participação social e reforma do Estado. Ciência & Saúde Coletiva, v. 3, p. 23-25, 1998.

CLARK, Giovani. CORRÊA, Leonardo Alves. NASCIMENTO, Samuel Pontes do. Ideologia Constitucional e Pluralismo Produtivo. Revista da Faculdade de Direito da Universidade Federal de Minas Gerais, v. Especial, 2013, p. 265-300

COUTINHO, Diogo R. O direito nas políticas públicas. In: MARQUES, Eduardo; FARIA, C. A. P. A política pública como campo disciplinar. Unesp: São Paulo, 2013.

COUTINHO, Diogo Rosenthal. O Direito Econômico e a construção institucional do desenvolvimento democrático. REI-REVISTA ESTUDOS INSTITUCIONAIS, v. 2, n. 1, p. 214-262, 2016.

GOMES, Eduardo Granha Magalhães. Conselhos gestores de políticas públicas: Democracia, controle social e instituições. São Paulo: EAESP/FGV, 2010.

LIMA JR, Jayme Bevenuti; ZETTERSTRÖM, Lena (Org). Extrema pobreza no Brasil: a situação do direito à alimentação e moradia adequada. São Paulo: Loyola, 2004.

LOTTA, G. S.; FAVARETO, A. Desafios da integração nos novos arranjos institucionais de políticas públicas no Brasil. Revista de Sociologia e Política, v. 24, p. 49-65, 2016.

OLIVEIRA, Régis Fernandes de. Curso de Direito Financeiro. 3ª Ed. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2010.

SIQUEIRA, Dirceu Pereira. A dimensão cultural do direito fundamental à alimentação. 1ª ed. São Paulo: Boreal Editora, 2013.

SIQUEIRA, Renata Lopes de et al. Conselho de segurança alimentar e nutricional: análise do controle social sobre a política estadual de segurança alimentar e nutricional no Estado do Espírito Santo. Saúde e Sociedade, v. 20, p. 470-482, 2011.

SILVA, Suelene; SARMENTO, Helder Boska. Fundos Especiais: uma ferramenta importante para a Municipalização das políticas setoriais. In: Congresso de Controladoria e Contabilidade, 6., 2006, São Paulo. Anais eletrônicos. São Paulo: USP, 2006. Disponível em . Acesso em: 23 set. 2017.

SOUZA, Washington Peluso Albino de. Primeiras Linhas de Direito Econômico. 6ª edição. São Paulo: Editora LTr, 2ª tiragem, 2017

VENÂNCIO FILHO, Alberto. A intervenção do Estado no domínio econômico. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vergas. 1968.




DOI: https://doi.org/10.21783/rei.v4i2.245

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Leonardo Alves Correa, Giovani Clark, Pedro Rezende Carvalho

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

Indexadores:

                                               

      

Bases de dados e diretórios

                                                               

 

 

  

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia