NINJAS FAZEM BICO? Um estudo de plataforma de crowdsourcing no Brasil

Rodrigo de Lacerda Carelli, Angela Tavares de Castro Bittencourt

Resumo


O presente trabalho realiza uma análise sobre a plataforma de crowdsourcing GetNinjas. Baseado em pesquisa empírica, por meio de questionário semi-estruturado apresentado a vinte e quatro trabalhadores inscritos na plataforma, que se voluntariaram a responder às perguntas on-line em formulário eletrônico disponibilizado, o artigo conclui que o objeto de pesquisa pode ser definido como uma plataforma de crowdsourcing mista e genérica que atua tanto em nível global (on-line) quanto em nível local (off-line). O estudo, além de apontar problemas relacionados com a concorrência entre trabalhadores, em uma espécie de leilão negativo, e com a avaliação unilateral publicizada dos prestadores de serviços por parte dos clientes, sem a existência de um contraditório antes da qualificação, argumenta que a cobrança de “moedas virtuais” realizada pela empresa para os profissionais acessarem as propostas de trabalho não é lícita, tendo em vista o princípio da não-mercantilização do trabalho, a Convenção nº 181 da OIT (Organização Internacional do Trabalho) e a aplicação analógica da Lei nº 6.019/1974.


Palavras-chave


Trabalho por meio de plataformas digitais; Economia do bico; Princípio da não-mercantilização do trabalho

Texto completo:

PDF

Referências


ABILIO, Ludmila Costhek. Uberização: Do empreendedorismo para o autogerenciamento subordinado. In: Psicoperspectivas, Valparaíso, v. 18, n. 3, p. 41-51, nov. 2019. ISSN 0718-6924 versão online. Disponível em . Acesso em: 30 abr. 2020.

ALOISI, Antonio. Commoditized Workers. Case Study Research on Labour Law Issues Arising from a Set of 'On-Demand/Gig Economy Platforms. In: Comparative Labor Law&Policy Journal, v. 37, n. 3, 1 may 2016. Disponível em ou . Acesso em: 30 abr. 2020.

ALOISI, Antonio; DE STEFANO, Valerio. European Legal framework for digital labour platforms. Luxembourg: European Commission, 2018. ISBN 978-92-79-94131-3. Disponível em < https://publications.jrc.ec.europa.eu/repository/bitstream/JRC112243/jrc112243_legal_framework_digital_labour_platforms_final.pdf >. Acesso em: 30 abr. 2020.

ANAMATRA. 1ª Jornada de Direito Material e Processual na Justiça do Trabalho. São Paulo: LTr, 2008. ISBN: 9788536111353.

BRASIL. Decreto-Lei n. 5.452, de 1º de maio de 1943. Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho. Diário Oficial [dos] Estados Unidos do Brasil: secção 1, Rio de Janeiro, DF, ano 82, n. 184, p. 11937-11984, 9 ago. 1943.

BRASIL. Lei nº 6.019, de 3 de janeiro de 1974. Diário Oficial da União: seção 1, p. 73, 4 jan. 1974.

CARELLI, Rodrigo de Lacerda. Trabalho na Uber é neofeudal, diz estudo. “São empreendedores de si mesmo proletarizados”. [Entrevista cedida a] Marco Weissheimer. Sul21, Porto Alegre, 13 mai. 2019. Disponível em: < https://www.sul21.com.br/areazero/2019/05/trabalho-na-uber-e-neofeudal-diz-estudo-sao-empreendedores-de-si-mesmo-proletarizados/>. Acesso em: 30 abr. 2020.

CARELLI, Rodrigo de Lacerda. CASAGRANDE, Cássio Luís. OITAVEN, Juliana Carreiro Corbal. Empresas de transporte, plataformas digitais e a relação de emprego: um estudo do trabalho subordinado sob aplicativos. Brasília: Ministério Público do Trabalho, 2018.

DANIGNO, Emanuele. Labour and Labour Law in the time of the on-demand economy. In: Revista Derecho Social y Empresa, España, n. 6 (ejemplar dedicado a: Nuevas formas de trabajo. Retos presentes y futuros), p. 43-65, 2016. Disponível em: . Acesso em 30 abr. 2020.

DUBAL, Veena. Wage Slave or Entrepreneur?: Contesting the Dualism of Legal Worker Identities. In: California Law Review, v. 105, p. 101-159, 2017.

GETNINJAS. GetNinjas: Encontre Profissionais ou Serviços, 2019. Disponível em: . Acesso em 30 abr. 2020.

GETNINJAS. Como foi sua procura por Profissionais de Gravação de Vídeos no GetNinjas? [mensagem pessoal]. Mensagem recebida por em 21 jun. 2019.

GETNINJAS. Termos e condições gerais de uso do site, 2020. Disponível em: . Acesso em 30 abr. 2020.

GETNINJAS. Como funciona o GetNinjas?, 2020a. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2020.

IBGE. Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD), ago. 2019. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2020.

IVANOVA, Mirela et al. The App as a Boss? Control and Autonomy in Application-Based Management. Arbeit | Grenze | Fluss - Work in Progress interdisziplinärer Arbeitsforschung, n. 2, Frankfurt (Oder): Viadrina, 2018. DOI: doi:10.11584/Arbeit-Grenze-Fluss.2.

KALIL, Renan Bernardi. Capitalismo de plataforma e Direito do Trabalho: crowdwork e trabalho sob demanda por meio de aplicativos. Orientador: Otavio Pinto e Silva. Tese (Doutorado em Direito) – Faculdade de Direito, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2019.

LIGA DAS NAÇÕES. Tratado de Versalhes, 1919. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2020.

MARDIGAN, Jamie. Getting gamers: the psychology of vídeo games and their impact on the people who play them. Lanham: Rowman and Littlefield, 2016.

OIT. Constituição da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e seu anexo (Declaração de Filadélfia), 1944. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2020.

OIT. Convenção 181 (Convenção Relativa às Agências de Emprego Privadas), 1997. Disponível em: . Acesso em: 30 abr. 2020.

TODOLÍ SIGNES, Adrián. O Mercado de Trabalho no Século XXI: on-demand economy, crowdsourcing e outras formas de descentralização produtiva que atomizam o mercado de trabalho. In: LEME, Ana Carolina Reis Paes; RODRIGUES, Bruno Alves; CHAVES JUNIOR, José Eduardo De Resende (coord.). Tecnologias disruptivas e a exploração do trabalho humano. São Paulo: LTr, 2017.

SUPIOT, Alain. Governance by Numbers: The Making of a Legal Model of Allegiance. Oxford/Portland: Hart, 2017, p. 167-282.




DOI: https://doi.org/10.21783/rei.v6i3.499

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Rodrigo de Lacerda Carelli, Angela Tavares de Castro Bittencourt

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

                                                                                                                     

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia