THE PACIFYING POLICE UNITS IN RIO DE JANEIRO: a bypass of what?

Marta Rodriguez de Assis Machado

Resumo


In their book, Prado and Trebilcock analyze the Pacifying Police Units (UPPs) as a case of intentional bypass (2018, 63-76). On the one hand, the bypass hypothesis addresses the hurdles of reforming the public security system and the police’s chronic problems of corruption, institutional racism, and violence; on the other, it brings the design of a “new model,” with a different rationale and a separate institutional structure.  According to the authors, the creation of a new police unit (the UPPs) – independent from the regular police force, with special training and new recruits –indicates an institutional design that makes the UPPs a case of bypass.


Texto completo:

PDF (English)

Referências


Beato Filho, Cláudio, Ludmila Ribeiro, Cláudio Beato Filho, and Ludmila Ribeiro. 2016. “Discutindo a reforma das polícias no Brasil.” Civitas - Revista de Ciências Sociais 16 (4): 174–204. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2016.4.23255.

Betim, Felipe. 2018. “UPPs, mais uma história de esperança e fracasso na segurança pública do Rio.” El País, March 12, 2018, sec. Brasil. https://brasil.elpais.com/brasil/2018/03/11/politica/1520769227_645322.html.

Brazil. 1988. Artigo 109, §5o, Constituição Da República Federativa Do Brasil.

Brinks, Daniel M. 2003. “Informal Institutions and the Rule of Law: The Judicial Response to State Killings in Buenos Aires and São Paulo in the 1990s.” Comparative Politics 36 (1): 1–19. https://doi.org/10.2307/4150157.

———. 2006. “The Rule of (Non) Law: Prosecuting Police Killings in Brazil and Argentina.” In Informal Institutions and Democracy: Lessons From Latin America, edited by Steven Levitsky and Gretchen Helmke, 201–26. Baltimo, MD: Johns Hopkins University Press.

Bueno, Samira. 2014. “Bandido Bom é Bandido Morto: A Opção Ideológico-Institucional Da Política e Segurança Pública Na Manutenção de Padrões de Atuação Violentos Da Polícia Militar Paulista.” Master’s Thesis, São Paulo: FGV Direito SP. https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/11546.

Cano, Ignacio. 2012. “‘Os Donos Do Morro’: Uma Avaliação Exploratória Do Impacto Das Unidades de Polícia Pacificadora (UPPs) No Rio de Janeiro.” São Paulo: Fórum Brasileiro de Segurança Pública. http://www.lav.uerj.br/docs/rel/2012/RelatUPP.pdf.

CJG. 2003. “Execuções Sumárias No Brasil: 1997/2003.” Centro de Justiça Global e Núcleo de Estudos Negros: Rio de Janeiro. http://www.ovp-sp.org/relatorio_just_global_exec_97_03.pdf.

Costa, Arthur Trindade Maranhão. 2009. “As Reformas Nas Polícias e Seus Obstáculos: Uma Análise Comparada Das Das Interações Entre a Sociedade Civil, a Sociedade Política e as Polícias.” Civitas - Revista de Ciências Sociais 8 (3): 409–27. https://doi.org/10.15448/1984-7289.2008.3.4867.

Denyer Willis, Graham, and Mariana Mota Prado. 2014. “Process and Pattern in Institutional Reforms: A Case Study of the Police Pacifying Units (UPPs) in Brazil.” World Development 64 (December): 232–42. https://doi.org/10.1016/j.worlddev.2014.06.006.

Efeiche, Gabriela Gebara. 2016. “Unidade de Polícia Pacificadora Como Um Bypass Institucional: O Modelo Contornou o Path Dependence Da Polícia Brasileira?” Bachelor’s Thesis, São Paulo: FGV Direito SP.

Esperança, Vinicius. 2014. “‘Brincando de Gato e Rato’ no Complexo do Alemão: UPPs, ‘Esticas’ e ‘Acordo de Cavalheiros’ na Nova Brasília e no Alemão.” Confluências | Revista Interdisciplinar de Sociologia e Direito 16 (3): 125–50. https://doi.org/10.22409/conflu16i3.p368.

Ferraz, Joana D’arc Fernandes. 2005. “A Chacina de Vigário Geral, a Violência Como Princípio.” In . Florianópolis. http://www.sbsociologia.com.br/portal/index.php?option=com_docman&task=doc_download&gid=13&Itemid=171.

Ferraz, Joana D’Arc Fernandes. 2008. “Do ‘Mal Necessário’ à ‘Metáfora Bélica’: a lógica dual do Estado Autoritário.” Revista Maracanan 4 (4): 195–207.

Fichino, Daniela Alessandra Soares. 2012. “Pasárgada Reconquistada?: Estudo Sobre o Processo de Implementação Das Unidades de Polícia Pacificadora.” Master’s Thesis, São Paulo: FGV Direito SP. http://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/10425.

Flauzina, Ana Luiza Pinheiro. 2019. Corpo negro caído no chão: O sistema penal e o projeto genocida do Estado brasileiro. Brasília: Brado Negro.

Franco, Marielle. 2012. “UPP: A Redução Da Favela a Três Letras: Uma Análise Da Política de Segurança Pública Do Estado Do Rio de Janeiro.” Master’s Thesis, Rio de Janeiro: Universidade Federal Fluminense. https://app.uff.br/riuff/bitstream/1/2166/1/Marielle%20Franco.pdf.

G1. 2013. “Polícia Civil Admite Que Inocentes Morreram Em Confronto Na Maré, RJ,” 2013. http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2013/06/policia-civil-admite-que-inocentes-morreram-em-confronto-na-mare-rj.html.

Helmke, Gretchen, and Steven Levitsky. 2004. “Informal Institutions and Comparative Politics: A Research Agenda.” Perspectives on Politics 2 (4): 725–40.

Leite, Márcia Pereira. 2012. “Da ‘metáfora da guerra’ ao projeto de ‘pacificação’: favelas e políticas de segurança pública no Rio de Janeiro.” Revista Brasileira de Segurança Pública 6 (August): 374–89.

Lemgruber, Julita, Leonarda Musumeci, and Ignácio Cano. 2003. Quem vigia os vigias?: um estudo sobre controle externo da polícia no Brasil. Rio de Janeiro: Record.

Machado, Maíra Rocha, and Marta Rodriguez de Assis Machado. 2015. Carandiru (Não) É Coisa Do Passado: Um Balanço Sobre Os Processos, as Institutições, e as Narrativas 23 Anos Após o Massacre. São Paulo: FGV Livros.

Mehl, Gustavo. 2011. “São Paulo Sob Achaque: Corrupção, Crime Organizado e Violência Institucional Em Maio de 2006.” Justiça Global (blog). 2011. http://www.global.org.br/blog/sao-paulo-sob-achaque-corrupcao-crime-organizado-e-violencia-institucional-em-maio-de-2006/.

Misse, Michel. 2011. “‘Autos de Resistência’: Uma Análise Dos Homicídios Cometidos Por Policiais Na Cidade Do Rio de Janeiro (2001-2011).” Rio de Janeiro: Núcleo de Estudos da Cidadania, Conflito e Violência Urbana. http://fopir.org.br/wp-content/uploads/2017/04/PesquisaAutoResistencia_Michel-Misse.pdf.

Musumeci, Leonarda. 2015. “"Eles Nos Detestam”. Tropeços Do Policiamento de Proximidade Em Favelas. Resultados Da Pesquisa UPP: O Que Pensam Os Policiais.” 19. Boletim Segurança e Cidadania. Rio de Janeiro: Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (CESEC). https://www.ucamcesec.com.br/wp-content/uploads/2015/11/Boletim-19-Eles-nos-detestam_com-corre%C3%A7%C3%B5es.pdf.

———. 2017. UPP: Última Chamada. Visões e Expectativas Dos Moradores de Favelas Ocupadas Pela Polícia Militar Na Cidade Do Rio de Janeiro. Rio de Janeiro: CESeC.

O’Donnell, Guillermo. 1998. “Polyarchies and the (Un)Rule of Law in Latin America.” In . Chicago, IL. http://lasa.international.pitt.edu/LASA98/ODonnell.pdf.

Prado, Mariana Mota, and Michael Trebilcock. 2018. Institutional Bypasses: A Strategy to Promote Reforms for Development. Cambridge, UK: Cambridge University Press. http://myaccess.library.utoronto.ca/login?url=https://doi.org/10.1017/9781108563116.

Ramos, Silvia. 2016. “Violência e Polícia: Três Décadas de Políticas de Segurança No Rio de Janeiro.” 21. Boletim Segurança e Cidadania. Rio de Janeiro: Centro de Estudos de Segurança e Cidadania (CESEC). https://www.ucamcesec.com.br/wp-content/uploads/2016/03/boletim21violenciaepolicia.pdf.

Rocha, Lia de Mattos, Monique Batista Carvalho, and Frank Andrew Davies. 2018. “Crítica e controle social nas margens da cidade: etnografia de espaços de participação em favelas ‘pacificadas’ do Rio de Janeiro” 10 (1): 216–37.

Rocha, Lia de Mattos, and Monique Batista de Carvalho. 2018. “Da ‘cidade integrada’ à ‘favela como oportunidade’: empreendedorismo, política e ‘pacificação’ no Rio de Janeiro.” Cadernos Metrópole 20 (43): 905–24. https://doi.org/10.1590/2236-9996.2018-4313.

Rodrigues, André Raíza Siqueira, and Mauricio Lissovsky. 2012. “Unidades de Polícia Pacificadora: Debates e Reflexões.” 67. Comunicações Do ISER. Rio de Janeiro: ISER. http://www.iser.org.br/site/wp-content/uploads/2013/11/Comunica%C3%A7oes-do-Iser-UPP-n.67-2012.pdf.

Rodrigues, Robson. 2014. “Os Dilemas Da Pacificação: Notícias de Guerra e Paz Em Uma “Cidade Maravilhosa".” Artigo Estratégico. Rio de Janeiro: Instituto Igarapé. https://igarape.org.br/wp-content/uploads/2014/07/artigo-8-p5.pdf.

Sayuri, Juliana. 2013. “Amarildos, onde estão?” O Estado de São Paulo, August 24, 2013. https://alias.estadao.com.br/noticias/geral,amarildos-onde-estao,1067443.

Silva, Luiz Antonio Machado da. 2015. “A experiência das UPPs: Uma tomada de posição.” Dilemas - Revista de Estudos de Conflito e Controle Social 8 (1): 7–24.

Vieira, Oscar Vilhena. 2007. “A desigualdade e a subversão do Estado de Direito.” Sur. Revista Internacional de Direitos Humanos 4 (6): 28–51. https://doi.org/10.1590/S1806-64452007000100003.


Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2020 Marta Rodriguez de Assis Machado

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

                                                                                                                     

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia