A NIP DA ANS E A EFICIÊNCIA ADMINISTRATIVA NA RESOLUÇÃO DE LITÍGIOS DA SAÚDE SUPLEMENTAR

Simone Sanches Freire, Eduardo Chow de Martino Tostes

Resumo


O presente artigo busca explorar tema de grande complexidade nas relações de consumo envolvendo a questão de saúde suplementar. Em especial, a denominada Notificação de Intermediação Preliminar (NIP) da Agência Nacional de Saúde (ANS) e os seus efeitos para a resolução de litígios do consumo e contribuição para a redução da assimetria da informação do órgão regulador perante as empresas reguladas. Trata-se de uma pesquisa exploratória, de maneira retrospectiva, que busca responder a seguinte questão-problema: qual o papel da NIP? A hipótese defendida neste trabalho passa pela afirmação de que a Notificação de Intermediação Preliminar é um modelo de sucesso a título de solução extrajudicial do conflito, além de ser um relevante mecanismo de insumo regulatório por possuir incentivos ímpares para as questões conflituosas postas a sua análise, dentro de seu escopo de abrangência. O objetivo do presente trabalho almeja refletir modelos inspiradores de soluções de conflitos no cenário brasileiro. Sua metodologia perpassa pela análise de dados da ANS, de processos judiciais, além de pesquisa bibliográfica afeta à temática. O resultado da presente pesquisa convida o leitor a não somente desejar um aprofundamento das questões inerentes à NIP na ANS, mas também a reflexões amplas e necessárias no panorama atual de uma intensa judicialização de questões consumeristas em temas diversos.


Palavras-chave


NIP; ANS; Resolução de conflito; Assimetria de informação; Eficiência administrativa

Texto completo:

PDF

Referências


BRASIL. Ministério da Saúde (MS). Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Resolução extrajudicial de conflitos entre consumidores e operadoras de planos de saúde. Escola Nacional de Administração Pública (Enap). Brasília. 2014.

BRUNETTI, Lucas. Assimetria de informação no mercado brasileiro de saúde suplementar: testando a eficiência dos planos de cosseguro. 2013. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

CARVALHO, Rafaela M.; PORTO, Antônio José Maristrello; RAMALH, Bruno Araujo. Papel institucional dos canais de reclamação para a resolução extrajudicial de conflitos sobre planos de saúde: uma análise comparada. Revista brasileira de políticas públicas, 2018.

GABAN, Eduardo Molan. Regulação econômica e assimetria de informação. Revista de

Direito Constitucional e Internacional. São Paulo, v.12, n.46, p.233-289, jan./mar. 2004.

OLIVEIRA, Rosa Maria Rodrigues de. Projeto BRA 05/036. UTILIZAÇÃO DE MEIOS DE RESOLUÇÃO EXTRAJUDICIAL DE CONFLITOS NO ÂMBITO DE SERVIÇOS REGULADOS POR AGÊNCIAS GOVERNAMENTAIS. Brasília: Ministério da Justiça, Secretaria da Reforma do Judiciário, 2012.

DA MOTTA, Marcia Vieira; DA MOTTA PIACSEK, Monica Vieira. Planos de Saúde: entendimento jurisprudencial dominante nos Tribunais estaduais brasileiros. Saúde, Ética & Justiça, v. 24, n. 1, p. 29-43, 2019.

KEINERT, T.; Os Paradigmas da Administração Pública no Brasil (1900 – 92). Revista de Administração de Empresas, v. 34, n. 3, p. 41-48. 1994.

MIRALDO, Claudio de Oliveira. A utilização de sistema de informação para gestão das demandas dos beneficiários de operadoras de saúde suplementar, como estratégia frente à regulação do setor e a Notificação de Intermediação Preliminar (NIP). 2016. Tese de Doutorado.

NAVARRO, Filipe Veras. As mudanças advindas da regulação das ouvidorias das operadoras de planos privados de saúde: estudo de caso na Unimed Fortaleza. Universidade Federal do Ceará. 2016.

PINTO JR, Helder Q. et al. Assimetria de informações e problemas regulatórios. Rio de Janeiro: Agência Nacional do Petróleo, Nota Técnica, n. 10, p. 217-260, 2000.

RAMALHO, Bruno Araujo. A Interface institucional entre a ANS e o Poder Judiciário: análise de acórdãos sobre a cobertura de emergências médicas em planos de saúde. R. Dir. sanit., São Paulo v.17 n.1, p. 122-144, mar./jun. 2016.

SALVATORI, Rachel Torres; VENTURA, Carla A. Arena. A Agência Nacional de Saúde Suplementar-ANS: onze anos de regulação dos planos de saúde. Organ. Soc, p. 471-488, 2012.

SCHEFFER, Mario César. Os planos de saúde nos tribunais: uma análise das ações judiciais movidas por clientes de planos de saúde, relacionadas à negação de coberturas assistenciais no Estado de São Paulo. 2006. Tese de Doutorado. Universidade de São Paulo.

SOFAL, Delgado. A saúde suplementar brasileira e as assimetrias de informação: risco moral e seleção adversa. Revista da AMDE, v. 9, n. 1, p. 88-132, 2012.

UNES, André Luis Fortes. Por que mudar? a “virada de jogo” na fiscalização da ANS. Dissertação de Mestrado. FGV-Rio, 2018.

VASCONCELLOS, Marco Antonio Sandoval de. Economia: micro e macro: teoria e exercícios, glossário com os 300 principais conceitos econômicos. 6ª ed. São Paulo. Atlas. 2015.




DOI: https://doi.org/10.21783/rei.v7i1.604

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Simone Sanches Freire, Eduardo Chow De Martino Tostes

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

                                                                                                                     

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia