O DIREITO À EDUCAÇÃO AO LONGO DA VIDA NO ART. 25 DO ESTATUTO DO IDOSO

Ana Paula Barbosa-Fohrmann, Luana Adriano Araújo

Resumo


Investiga-se, neste trabalho, o conceito de “Educação ao Longo da Vida” (ELV) incluído na redação do art. 25 da Lei Nº 10.741, de 1º de outubro de 2003 (Estatuto do Idoso). Aborda-se, inicialmente, o histórico normativo do direito à educação de pessoas idosas no contexto nacional, para se perscrutar, em seguida, o conteúdo da Lei Nº. 8.842, de 4 de janeiro 1994 (Política Nacional do Idoso) e do Estatuto do Idoso no âmbito da temática em análise. Em seguida, abordam-se o significado e o alcance do conceito de “Educação ao Longo da Vida” para se compreender o âmbito de interseção e/ou divergência entre esta concepção e as de “Educação Permanente” (EPE) e “Aprendizagem ao Longo da Vida” (ALV), apontando o referencial interpretativo pertinente ao viés da Educação ao Longo da Vida na Perspectiva da Educação Popular. Por fim, analisa-se o direito à educação ao longo da vida na perspectiva recentemente inserida no Estatuto do Idoso, considerando o processo legislativo a partir do qual se reconheceu, como princípio básico do ensino, a garantia do direito à educação e à aprendizagem ao longo da vida.

Palavras-chave


Direito à Educação; Direito dos Idosos; Educação ao Longo da Vida.

Texto completo:

PDF

Referências


ARAÚJO, Luana Adriano. Os desafios para a efetivação do direito à educação inclusiva: igualdade, diferença e deficiência nas escolas públicas municipais de Fortaleza (CE). 2018. Dissertação de Mestrado. UFC.

ALCÂNTARA, Alexandre de Oliveira. Da Política Nacional do Idoso ao Estatuto do Idoso: a difícil construção de um sistema de garantias de direitos da pessoa idosa. Política Nacional do Idoso: velhas e novas questões. Rio de Janeiro. Ipea, 2016.

BARBOSA-FOHRMANN, Ana Paula; DE BRITO LANES, Rodrigo. O direito à educação inclusiva das crianças portadoras de deficiência. Espaço Jurídico, v. 12, n. 1, p. 155-173, 2012.

BARCIA, Mary F. Educação Permanente no Brasil. Petrópolis, Vozes, 1982.

BONAVIDES, Paulo. Curso de Direito Constitucional. 15. Ed. São Paulo: Malheiros. 2004.

BRASIL. Câmara dos Deputados. Parecer da Comissão de Defesa dos Direitos das Pessoas Idosas acerca do Projeto de Lei Nº. 6.350, de 2013. Relatora Deputada Leandre. 2016.

BRASIL. Senado Federal. Projeto de Lei do Senado Nº 344, de 2012. Autoria: Senador Cristovam Buarque. 2012a.

BRASIL. Senado Federal. Parecer acerca do Projeto de Lei do Senado Nº 344/2012. Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa. Relatoria: Senador Paulo Paim. 2012b.

DELORS, Jacques. Educação: um tesouro a descobrir. Relatório para a Unesco da Comissão Internacional sobre Educação para o século XXI. 8. ed. São Paulo/ Brasília: Cortez/MEC, 2003.

DUARTE, Clarice Seixas. A educação como um direito fundamental de natureza social. Educação & Sociedade, v. 28, n. 100, p. 691-713, 2007.

FAURE, Edgar. Aprender a ser. Lisboa: Bertrand, Difusão Européia do Livro, 1974.

GADOTTI, Moacir. Educação Popular e Educação ao longo da vida. In: Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Coletânea de textos CONFINTEA Brasil+6: tema central e oficinas temáticas. Brasília: MEC, 2016.

GADOTTI, Moacir. A questão da educação formal/não-formal. Sion: Institut Internacional des Droits de 1º Enfant, p. 1-11, 2005.

LIMA, Licínio C. A Educação faz tudo? Crítica ao pedagogismo na “sociedade da aprendizagem”. Revista Lusófona de Educação, n. 15, p. 41-54, 2010.

LIMA, Licínio C. Do aprender a ser à aquisição de competências para competir: adaptação, competitividade e performance na sociedade da aprendizagem. 2004.

LIMA, Licínio C. Aspectos Contemporâneos da Educação ao Longo da Vida. In: Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Coletânea de textos CONFINTEA Brasil+6: tema central e oficinas temáticas. Brasília: MEC, 2016.

MARTIN, Claudia et al. Human Rights of older people: universal and regional legal perspectives. Ius Gentium Comparative Perspectives on Law and Justice, v. 45, Springer. 2015.

CACHIONI, M. et al. Brazil. In: FINDSEN, Brian et al. (Eds). International Perspectives on Older Adult Education: Research, Policies and Practice. Suíça: Springer, 2016.

OLIVEIRA, Ivanilde Apoluceno. Texto 1 – Educação de jovens, adultos e idosos. In: BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação à distância. Educação ao longo da vida. Ano XIX, nº 11. Brasília: MEC, 2009.

OLIVEIRA, Romualdo Portela de. O Direito à Educação na Constituição Federal de 1988 e seu restabelecimento pelo sistema de Justiça. Revista Brasileira de Educação, v. 11, p. 61-74, 1999.

PONTUAL, Pedro. Educação ao Longo da Vida na perspectiva da Educação Popular e da participação social. In: Brasil. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão. Coletânea de textos CONFINTEA Brasil+6: tema central e oficinas temáticas. Brasília: MEC, 2016.

SARAIVA, Irene Skorupski. Educação de jovens e adultos: dialogando sobre aprender e ensinar. Passo Fundo: UPF. 2004.

SARLET, Ingo Wolfgang. A eficácia dos Direitos Fundamentais. 6. ed. Porto Alegre: livraria do advogado. 2006.

SILVA, José Afonso da. Curso de Direito Constitucional Positivo. 25. ed. São Paulo: Malheiros. 2005. p. 312-313.

SOUSA, Ana Maria Viola de et al. Direito dos idosos à educação: análise do filme “o estudante” sob a perspectiva pontual da Gerontagogia. In: Políticas Culturais em Revista, v. 1, n. 6, p. 137-151, 2013.

SOUSA, Ana Maria Viola de. Tutela jurídica do idoso: a assistência e a convivência familiar. São Paulo: Alínea, 2004.

TOMASEVSKI, Katarina. Human rights obligations: making education available, accessible, acceptable and adaptable. Lund: Right to Education Primers, 2001.

UNESCO. Declaração de Hamburgo sobre a Educação de Adultos.V Conferência Internacional sobre Educação de Adultos. Hamburgo, Alemanha, julho. 1997.

UNESCO. Marco de Ação de Belém. VI Conferência Internacional de Educação de Adultos. Belém: UNESCO, 2009.

UNITED NATIONS. Political declaration and Madrid International Plan of Action on Ageing. Second World Assembly on Ageing, Madrid, Spain, 8-12 April 2002. Disnponível em: Acesso em: 03 ago. 2018.

XIMENES, Salomão Barros. Direito à qualidade na educação básica: teoria e crítica. São Paulo: Quartier Latin. 2014.




DOI: https://doi.org/10.21783/rei.v5i1.289

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Ana Paula Barbosa-Fohrmann, Luana Adriano Araújo

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

                                                                                                                     

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia