"UM VOTO QUALQUER"? O PAPEL DO MINISTRO RELATOR NA DELIBERAÇÃO NO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

Virgílio Afonso da Silva

Resumo


No Supremo Tribunal Federal, o papel do ministro relator não foi ainda objeto de estudo mais detido. A percepção mais difundida é a de que o ministro relator, por ser o ministro que mais se ocupa do caso, teria papel preponderante. Estatísticas mostram que o relator costuma ser seguido na esmagadora maioria das decisões do STF. Mas, para além dos números, pouco se sabe qual é a influência do relator e de seu voto no processo de deliberação nos casos mais polêmicos, que chamam mais a atenção tanto da comunidade jurídica quanto do grande público e da imprensa. Na medida em que nesses casos - ao contrário do que ocorre normalmente - todos os ministros costumam levar seus votos prontos para a sessão de julgamento, é possível supor que o papel e o grau de influência do relator seja diferente do usual. Este artigo é parte dos resultados de uma pesquisa que pretende compreender o que os próprios ministros do STF pensam da prática deliberativa e decisória desse tribunal.

Palavras-chave


Ministro relator; Deliberação; Supremo Tribunal Federal

Texto completo:

PDF

Referências


DUARTE, G.; FREIRE, D.; MARTINS, R. Revisitando o Supremo Relator: Teorias e Modelos Explicativos. V Seminário Discente do Programa de Pós-Graduação em Ciência Política, 2 de maio de 2015. São Paulo: Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, 2015. Disponível em: . Acesso em: 3 de janeiro de 2016.

GAROUPA, N.; GILI, M.; GÓMEZ-POMAR, F. Political Influence and Career Judges: An Empirical Analysis of Administrative Review by the Spanish Supreme Court. Journal of Empirical Legal Studies, Vol. 9, 4, 2012.

KRANENPOHL, U. Herr des Verfahrens oder nur Einer unter Acht? Der Einfluss des Berichterstatters in der Rechtsprechungspraxis des Bundesverfassungsgerichts. Zeitschrift für Rechtssoziologie, Vol. 30, 2, 2009.

______. Hinter dem Schleier des Beratungsgeheimnisses. Wiesbaden: VS Verlag für Sozialwissenschaften, 2010.

OLIVEIRA, F.L. de. Supremo Relator: processo decisório e mudanças na composição do STF nos governos FHC e Lula. Revista Brasileira de Ciências Sociais, Vol. 27, 80, 2012.

OLIVEIRA, F.L. de. Processo decisório no Supremo Tribunal Federal: coalizões e “panelinhas”. Revista de Sociologia e Política, Vol. 20, 44, 2012.

PELLEGRINA, L.D.; GAROUPA, N. Choosing between the government and the regions: An empirical analysis of the Italian constitutional court decisions. European Journal of Political Research, Vol. 52, 4, 2013.

POSNER, R.A. What Do Judges and Justices Maximize? (The Same Thing Everybody Else Does). Supreme Court Economic Review, Vol. 3, 1, 1993.

SILVA, V.A. da. Deciding Without Deliberating. International Journal of Constitutional Law, Vol. 11, 3, 2013.

SPRIGGS II, J.F.; MALTZMAN, F.; WAHLBECK, P.J. Bargaining on the U.S. Supreme Court: Justices’ Responses to Majority Opinion Drafts. The Journal of Politics, Vol. 61, 2, 1999.




DOI: https://doi.org/10.21783/rei.v1i1.21

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Virgílio Afonso da Silva



                                                                                                                     

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia