BIOPOLÍTICA E NOVAS TECNOLOGIAS: DIREITOS HUMANOS SOB AMEAÇA?

Maiquel Ângelo Dezordi Wermuth, Valéria Silva Galdino Cardin, Matheus Ribeiro de Oliveira Wolowski

Resumo


Diante do avanço das novas tecnologias e o contexto biopolítico contemporâneo de controle social, o artigo se propõe a tecer algumas reflexões sobre eventuais ameaças à direitos humanos e da personalidade, uma vez que o processamento de informações pode fomentar ainda mais o biopoder e o biomercado. Embora cite alguns casos concretos envolvendo a problemática, a pesquisa possui viés teórico e propõe um entrelaçamento entre as teorias de Giorgio Agamben e Fritjof Capra, sobre a necessidade de um pensamento sistêmico para proteger os vulneráveis em um contexto biopolítico de controle social. Ao final, busca-se apontar caminhos para possíveis soluções jurídicas que atenuem prováveis ameaças tecnológicas aos direitos humanos e da personalidade.

Texto completo:

PDF

Referências


AGAMBEN, Giorgio. Homo Sacer: o poder soberano e a vida nua. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2007.

AGAMBEN, Giorgio. COSTA, Flávia. Entrevista com Giorgio Agamben. Revista do Departamento de Psicologia -UFF, Niterói, v. 18, n. 1, p. 131-136, jun. 2006.

ALMEIDA, Rariel Torres de; ALMEIDA, Marinalva Severina; CARVALHO, Adriana Pereira Dantas. A relevância da lei 13.718/2018, seus impactos nos casos de revenge porn e a preservação ao princípio da dignidade da pessoa humana. Disponível em: https://www.cidp.pt/revistas/rjlb/2020/5/2020_05_1807_1834.pdf Acesso em: 01 de fev. 2021.

ALVAREZ, Marcos César. Controle social: notas em torno de uma noção polêmica. São Paulo em perspectiva, v. 18, n. 1, p. 168-176, 2004.

AMORA, Antônio Soares. Minidicionário da língua portuguesa. 19. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

ARENDT, Hannah. As origens do totalitarismo. Rio de Janeiro: Documentário, 1976.

AREOSA, João. Riscos sociais, tecnologias e acidentes. Mulemba. Revista Angolana de Ciências Sociais, n. 5 (9), p. 19-53, 2015.

BARI, Anasse; CHAOUCHI, Mohamed; JUNG, Tommy. Análise Preditiva para leigos. Rio de Janeiro: Alta Books, 2019.

BEDINELLI, Talita. Baleia Azul: o misterioso jogo que escancarou o tabu do suicídio juvenil. Disponível em: https://brasil.elpais.com/brasil/2017/04/27/politica/1493305523_711865.html Acesso em: 30 de janeiro de 2021.

BONALDO, Arianna; CUGINI, Gianvirgilio. Intelligenza artificiale: responsabilità nella progettazione e utilizzo di sistemi Analisi della tematica e riflessi legali, fiscali ed etici. In: Diritto tributario internazionale e dell'EU, Jan. p. 39-44, 2020.

BRASIL. Senado Federal. Projeto de Lei nº 5691, de 2019 –Estabelece princípios para o uso da Inteligência Artificial no Brasil. Senador Styvenson Valentim (PODEMOS/RN). Disponível em: https://legis.senado.leg.br/sdleg-getter/documento?dm=8031122&ts=1582300641960&disposition=inline Acesso em: 28 jan. 2021.

CAPRA, Fritjof. A revolução ecojurídica: o direito sistêmico em sintonia com a natureza e a comunidade. São Paulo: Editora Cultrix, 2018.

DINIZ, Paulo. Palavra do presidente. A lei geral de proteção de dados pessoais. SINAT. Disponível em: https://www.sinat.com.br/ilionnet/informativo-layout.sp?id=44121 Acesso em: 30 de janeiro de 2021.

EUROPEAN COMISSION. Communication Artificial Intelligence for Europe, 2018. Disponível em: https://ec.europa.eu/digital-single-market/en/news/communication-artificial-intelligence-europe Acesso em: 05 jan. 2021.

GLIKAS, Alexandre. Indústria 4.0: empresas são desafiadas a aproveitar o “novo petróleo”, 2018. Disponível em: https://computerworld.com.br/2018/12/02/industria-4-0-empresas-sao-desafiadas-a-aproveitar-novo-petroleo/ Acesso em: 30 de janeiro de 2021.

HUMBY, Clive. Data is the new oil. Proc. ANA Sr. Marketer’s Summit. Evanston, IL, USA, 2006.

KERCKHOVE, Derrick. A pele da cultura: investigando a nova realidade eletrônica. São Paulo: Annablume, 2009.

PINHEIRO, Luzia. Cyberbullying em Portugal: uma perspectiva sociológica. 2009. Tese de Doutorado. Universidade do Minho. Disponível em: https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/9870/1/tese.pdf Acesso em: 08 de março de 2021.

REZENDE, Renata. 1. A tecnologia e a transformação do dispositivo televisivo: produções sensórias no hibridismo realidade/ficção. Revista brasileira de história da mídia, v. 1, n. 2, 2012.

RODRIGUES JUNIOR., Otávio Luiz. Direito civil contemporâneo: estatuto epistemológico, constituição e direitos fundamentais. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2019.

RUIZ, Castor M. M. Bartolomé. A sacralidade da vida na exceção soberana, a testemunha e sua linguagem:(re)leituras biopolíticas da obra de Giorgio Agamben. UNISINOS: Instituto Humanitas, 2012. Disponível em: http://www.ihu.unisinos.br/images/stories/cadernos/ihu/039cadernosihu.pdf Acesso em: 15 jan. 2021.

SIQUEIRA, Dirceu Pereira; CASTRO, Lorenna Roberta Barbosa. Minorias e grupos vulneráveis: a questão terminológica como fator preponderante para uma real inclusão social. In: Revista direitos sociais e políticas públicas (UNIFAFIBE). v.5, n.1, 2017. Disponível em: http://www.unifafibe.com.br/revista/index.php/direitos-sociais-politicas-pub/article/view/219/pdf Acesso em: 29 jan. 2021.

SOARES, Marcelo Negri; KAUFFMAN, Marcos Eduardo; CHAO, Kuo-Ming. Inteligência Artificial: Impactos no Direito e na Advocacia. Revista de Direito Público – RDP, Brasília, v. 17, n. 93, p. 104-133, maio/jun. 2020.

SOUZA, Danigui Renigui Martins de. A biopolítica em Giorgio Agamben: Estado de exceção, poder soberano, vida nua e campo. Dissertação de Mestrado. UFRN, 2017.

TOMASEVICIUS FILHO, E. Artificial intelligence and personality rights ; Inteligência artificial e direitos da personalidade. [s. l.], 2018. DOI 10.11606/issn.2318-8235.v113i0p133-149. Disponível em: https://search.ebscohost.com/login.aspx?direct=true&db=edsbas&AN=edsbas.986208EE〈=pt-br&site=eds-live . Acesso em: 29 de jan. 2020.

UNESCO. Outcome document: first version of a draft text of a recommendation on the Ethics of Artificial Intelligence, 2020. Disponível em: https://unesdoc.unesco.org/ark:/48223/pf0000373434 Acesso em: 30 jan. 2021.

VALENCIA, Sayak. Capitalismo Gore. España: Melusina, 2010.

WERMUTH, Maiquel Ângelo Dezordi; MARCHT, Laura Mallmann; Mello, Letícia de. Necropolítica: racismo e políticas de morte no Brasil contemporâneo. Revista de Direito da Cidade, Rio de Janeiro, vol. 12, n. 2, p. 122-152, 2020.

WOLOWSKI, Matheus Ribeiro de Oliveira; CARDIN, Valéria Silva Galdino. A tutela normativa dos direitos da personalidade frente aos avanços da Inteligência Artificial. Revista de Direito, Governança e Novas Tecnologias. v.6, n. 2, p. 43-64, 2020. Disponível em: https://indexlaw.org/index.php/revistadgnt/article/view/7002/pdf Acesso em 02 fev. 2021.

ZMOGINSKI, Felipe. Sem acidentes graves, China libera 5.000 caminhões autônomos nas estradas. Canal sobre tecnologia do UOL. 03/02/2021. Disponível em: https://www.uol.com.br/tilt/colunas/felipe-zmoginski/2021/02/03/empresa-chinesa-estreia-frota-de-5-mil-caminhoes-autonomos.htm Acesso em: 04 fev. 2021.




DOI: https://doi.org/10.21783/rei.v7i1.598

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2021 Maiquel Ângelo Dezordi Wermuth, Valéria Silva Galdino Cardin, Matheus Ribeiro de Oliveira Wolowski

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição 4.0 Internacional.

                                                                                                                     

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia