A ASPIRAÇÃO DO SISTEMA DE PATENTES E O CASO DOS PRODUTOS TERAPÊUTICOS PARA DOENÇAS NEGLIGENCIADAS

Marcos Vinício Chein Feres, Alan Rossi Silva

Resumo


A presente pesquisa se propõe a investigar se o cumprimento dos deveres impostos pelo sistema jurídico de patentes está em consonância com sua aspiração de incentivar a inovação no que concerne à pesquisa e ao desenvolvimento (P&D) de produtos destinados ao combate das doenças negligenciadas. Essa investigação configura-se como um diagnóstico empírico preliminar sustentado por inferências descritivas, formuladas a partir da coleta indireta de dados e guiadas pelas regras de inferência de Epstein e King. O substrato teórico utilizado é composto pela interação entre a moralidade da aspiração e a moralidade do dever, de acordo com a perspectiva teórica de Bankowski. Desse modo, em primeiro lugar, é possível inferir que o cumprimento dos deveres impostos pelo atual modelo de exclusividade tem se mostrado insuficiente para incentivar a inovação no caso específico das doenças negligenciadas. Em segundo lugar, verifica-se que, mesmo dentro do grupo dessas enfermidades, algumas delas podem ser consideradas mais negligenciadas do que outras, podendo demandar tratamentos diferenciados, no que diz respeito à operacionalização do sistema jurídico de patentes e à elaboração de políticas públicas. Finalmente, constata-se que a pesquisa e o desenvolvimento de produtos destinados ao combate das doenças em geral são motivados por interesses diversos das demandas da saúde pública.


Palavras-chave


Inovação; Patentes; Doenças Negligenciadas; Produtos Terapêuticos

Texto completo:

PDF

Referências


BANKOWSKI, Zenon. Vivendo Plenamente a Lei: a Lei do Amor e o

Amor pela Lei. Trad. Lucas Dutra Bertolozzo, Luiz Reimer Rodrigues

Rieffel e Arthur Maria Ferreira Neto. Rio de Janeiro, RJ: Elsevier

Campus, 2008.

BARBOSA, Denis Borges. Direito ao Desenvolvimento, Inovação e a

Apropriação das Tecnologias. In: Denis Borges Barbosa, et. al. A

propriedade Intelectual no Século XXI: estudos de direito. Rio de

Janeiro, RJ: Editora Lumen Juris, 2009.

CASTRO, José Flávio de. A relação entre patentes farmacêuticas,

doenças negligenciadas e o programa público brasileiro de produção e

distribuição de medicamentos. 2012. 134 f. Dissertação (Mestrado em

Sociologia) – Faculdade de Ciências e Letras, Universidade Estadual

Paulista, Araraquara/SP. 2012.

CORREA, Carlos María. Trade Related Aspects of Intellectual Property

Rights: a commentary on the TRIPS agreement. New York, NY: Oxford

University Press, 2007.

CORREA, Carlos María. Intellectual Property Rights, the WTO and

Developing Countries: The TRIPS Agreement and Policy Options.

New York, NY: Zed Books Ltd., 2000.

EPSTEIN, Lee; KING, Gary. Pesquisa Empírica em Direito: as regras de

inferência. São Paulo, SP: Direito GV, 2013. Disponível em: . Acesso em: 21 de outubro de 2016.

ESTUDO de Carga analisa ocorrência de doenças no Estado de Minas

Gerais. Escola Nacional de Saúde Pública (ENSP), 25 set. 2009.

Disponível em: .

Acesso em: 21 de outubro de 2016.

FERES, Marcos Vinício Chein, et al., A contradição entre a

regulamentação existente e a complexidade dos fatos reais no caso das

drogas para doenças negligenciadas. In: ENCONTRO DE PESQUISA

EMPÍRICA EM DIREITO, 6º, 2016, Canoas/RS (no prelo).

FOOD AND DRUG ADMINISTRATION (FDA), Innovation or

Stagnation: Challenge and Opportunity on the Critical Path to New

Medical Products. Washington, DC: Food and Drug Administration,

Disponível em:

b1_05_topic3-tabb.pdf>. Acesso em: 12 ago. 2016.

GOLD, Edward Richard, et. al. Are Patents Impeding Medical Care and

Innovation? PLoS Med, Vol. 7, 1, 2010. Disponível em:

>. Acesso em: 29 de março de 2016.

MYCETOMA is added to WHO List of ‘Neglected Tropical

Diseases’: Move helps bring the disease to the attention of governments

and funders. Drugs for Neglected Diseases Initiative (DNDI), Geneva,

mai. 2016. Disponível em: . Acesso em: 22 de outubro de 2016.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS). Primeiro relatório da

OMS sobre doenças tropicais negligenciadas: avanços para superar o

impacto global de doenças tropicais negligenciadas. Brasil, DF:

Organização Pan-Americana Saúde (OPAS), 2012.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAÚDE (OMS), HEALTH

STATISTICS AND INFORMATION SYSTEMS PROGRAM. Metrics:

Disability-Adjusted Life Year (DALY): Quantifying the Burden of

Disease from mortality and morbidity. 2016. Disponível em:

n/>. Acesso em: 21 de outubro de 2016.

PEDRIQUE, Belen, et. al. The drug and vaccine landscape for neglected

diseases (2000–11): a systematic assessment. The Lancet Global Health,

Vol. 1, 6, 2013. Disponível em:

X(13)70078-0/abstract>. Acesso em: 27 de abril de 2016.

SANTOS, Bruno Eduardo dos; SILVA, Leandro Fonseca da. A cadeia da

inovação farmacêutica no Brasil: aperfeiçoando o marco regulatório.

Brasília, DF: Secretaria de Acompanhamento Econômico (SEAE), 2008.

Disponível em: . Acesso em: 21 de outubro de 2016.

SOUZA, Wanderley de (Org.). Doenças Negligenciadas. Rio de Janeiro,

RJ: Academia Brasileira de Ciências, 2010. Disponível em:

. Acesso em: 20 de outubro de 2016.




DOI: https://doi.org/10.21783/rei.v2i2.60

Métricas do artigo

Carregando Métricas ...

Metrics powered by PLOS ALM

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2016 Marcos Vinício Chein Feres e Alan Rossi Silva



Indexadores:

                                               

      

Bases de dados e diretórios

                                                               

 

 

  

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia